Só 1% das escolas que reabriram tiveram casos de Covid-19. Professores e alunos de risco terão de pôr baixa e justificar faltas.

 Dois terços dos alunos do 1º Ciclo não têm computador | Esquerda

De acordo com o Jornal de Negócios, na edição desta sexta-feira, houve 3.500 escolas que retomaram algum funcionamento presencial entre 18 de maio e 26 de junho e só foram detetados casos de Covid-19 em 1% dos estabelecimentos de ensino.

Esta quinta-feira, falando numa visita a um centro hospitalar em Vila Nova de Gaia, o primeiro-ministro António Costa lembrou que o inverno pode propiciar o aumento dos casos de infeção, já que “no inverno ficamos mais doentes”, mas deixou claro que o confinamento que existiu em março não vai voltar a repetir-se. “Não vamos poder ter no próximo ano a capacidade de resposta que tivemos em março quando decidimos encerrar as escolas”, disse, explicando que, desta vez, as escolas não vão poder manter-se “totalmente encerradas”.

Outra dúvida é o que fazer aos alunos, professores e funcionários que sejam considerados de risco face à Covid-19. Mas, para esses casos, o Ministério da Educação não parece ter solução, a não ser a baixa médica e consequente justificação das faltas, avança o Jornal de Notícias na edição desta sexta-feira.

Segundo Filinto Lima, presidente da Associação Nacional de Diretores, as escolas não têm autorização para planear aulas à distância nem para alunos de risco, uma vez que as instruções são para retomar o funcionamento de forma presencial. Assim sendo, a informação que tem sido transmitida aos professores e diretores nas reuniões regionais que têm tido lugar com o secretário de Estado Adjunto da Educação vai no sentido de que o regime presencial não se coaduna com o teletrabalho, logo, as faltas terão de ser justificadas e as ausências ao trabalho terão de estar associadas a baixas médicas.

Em declarações à Rádio Observador, Mário Nogueira diz que a Fenprof já pediu sete vezes uma reunião à Direção Geral da Saúde para perceber se está a validar as medidas da tutela e até agora não teve respostas.

Fonte: https://observador.pt/2020/08/21/ministerio-da-educacao-proibe-aulas-por-turnos-no-basico-escolas-vao-ter-de-funcionar-a-tempo-inteiro/

 

Vê isto...

Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.

Postagem Anterior Próxima Postagem