Faculdades e escolas secundárias vandalizadas com mensagens racistas e xenófobas


Meu Deus... Em que patamar certas pessoas vão... Enfim. 😡🤬










o Secretário de Estado da Educação, João Costa, também se pronunciou sobre este acontecimento, no facebook:





Isto é a entrada da porta de uma escola de Lisboa. A António Damásio, uma escola cheia de alunos, professores e...

Publicado por João Costa em Sexta-feira, 30 de outubro de 2020




Fica a noticia.










Vários estabelecimentos de ensino, desde escolas secundárias ao ensino superior, amanheceram esta sexta-feira, 30 de outubro, com mensagens contra "pretos" e "ciganos" em Portugal e glorificação da "raça branca".





Mariana Félix Lopes/Facebook




Ainda não tinha chegado à Universidade Católica de Lisboa quando Mariana Félix Lopes, de 17 anos, estudante do primeiro ano do curso de Comunicação Social, soube que as paredes tinham sido vandalizadas esta sexta-feira, 30 de outubro, com mensagens racistas e xenófobas.





"Acordei já com mensagens num grupo de amigos a dizer que tinham vandalizado a faculdade. Depois, quando cheguei à faculdade, vi aquilo tudo e ainda não tinha sido nada feito", conta Mariana à MAGG.Marido de Isabel dos Santos morre aos 48 anos. Afogamento durante mergulho será causa provávelVer artigo





A estudante de Comunicação Social e uma amiga decidiram dirigir-se à direção para dar conta da situação e foi então que as medidas começaram a ser tomadas.





"Por volta das 10h começaram a pintar os muros de branco", relata. Entretanto, Mariana Félix Lopes refere que recebeu um e-mail da Universidade Católica de Lisboa no sentido de condenar as frases que foram escritas a negro. Entre estas, agora apagadas, podia ler-se "por uma Católica sem escarumbas", "viva a raça branca", ou "fora com os pretos".

































Entre os colegas mais próximos de Mariana todos mostram-se contra as mensagens escritas em redor da faculdade, mas a estudante revela que há quem se tenha mostrado a favor. "De fora, já ouvi um rapaz a dizer que não condenava porque eram 'escumalha'", diz Mariana Félix Lopes.





A situação suscitou na estudante de Comunicação Social uma grande revolta que a levou a partilhar a situação no Facebook, acompanhada de uma larga descrição a condenar as mensagens escritas na faculdade que frequenta apelando, por fim: "Não se calem, não deixem nenhum destes casos passar despercebidos, falem e façam acontecer, porque é mesmo por não se falar sobre isto que a extrema direita está a crescer em Portugal e no mundo".





Reparámos que tem um Ad Blocker ativo.





A informação tem valor. Considere apoiar este projeto desligando o seu Ad Blocker.Pode também apoiar-nos subscrevendo as nossas notificações ou seguindo-nos nas redes sociais FacebookInstagram e Twitter.





A partilha também foi feita no Twitter, publicação essa que se tornou viral alcançando 1,3 mil retweets e 514 comentários. Entre estes há quem dê conta de situações semelhantes na Escola Secundária António Damásio, em Lisboa, e no Instituto Universitário de Lisboa (ISCTE) — de onde também foram partilhadas fotografias.





Há ainda relatos de mensagens racistas e xenófobas nas Escola Secundárias da Portela, Olivais e Sacavém, que dão conta de frases como "Portugal é branco. Pretos, voltem para África" ou "fora com os pretos! Por uma escola branca".


+ Sobre Educação

Este blog foi criado por um aluno do Ensino Básico, com objetivo de informar e ajudar a comunidade educativa, partilhando opiniões, notícias e materiais de apoio. Este espaço foi criado a 17 de julho de 2020, durante as férias de verão. Esta casa tem vindo a crescer dia-a-dia e espero ficar aqui durante longos anos. facebook blogger

Enviar um comentário

Todos os comentários, são sujeitos a moderação.

Postagem Anterior Próxima Postagem

Formulário de Contacto