Aulas em semestres


 Rita Bispo e Leonor Soares acreditam que o novo modelo semestral é "bom". As alunas do 11.º ano da Secundária Homem Cristo, que faz parte do Agrupamento de Escolas de Aveiro, estão certas de que lhes permite perceber onde podem ir melhorando ao longo do ano letivo, sem medo de terem más notas. Os testes não desaparecem, mas são menos e acompanhados de outras formas de avaliação.

Com a semestralização, "há, na mesma, momentos de avaliação classificativa [testes], que passam a ser dois, em janeiro e em junho, em vez de três". A meio dos semestres, surgem "dois momentos em que se faz uma avaliação de caráter descritivo, a partir de critérios definidos, para dar informação ao aluno sobre o ponto em que está, as lacunas que tem e como as superar", esclarece Vítor Marques, diretor do agrupamento, sublinhando que este modelo possibilita "construir projetos transversais a longo prazo, com equipas multidisciplinares".

Aulas em semestres: ″Não estamos sempre a pensar: isto vai contar para a nota″ (jn.pt)

Vê isto...

Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.

Postagem Anterior Próxima Postagem